A Polícia Judiciária anunciou hoje a detenção de um homem de 40 anos suspeito de ter ateado um incêndio em Vila Nova de Anha, Viana do Castelo, "com recurso a um isqueiro e movido por sentimentos de vingança".

Em comunicado, a Polícia Judiciária (PJ) de Braga adiantou que o homem, desempregado e residente naquela freguesia da margem esquerda do rio Lima, foi detido numa operação que contou com a colaboração da GNR de Viana do Castelo.

Segundo a PJ, o suspeito "está fortemente indiciado pela prática de um incêndio florestal que consumiu uma área de 50 metros quadrados de mato, não tendo tomando outras proporções dada a pronta intervenção de uma testemunha, populares e bombeiros quem de imediato, se deslocaram para o local".

O suspeito vai ser presente a primeiro interrogatório judicial para aplicação das medidas de coação tidas por adequadas.

Já no caso de Paços de Ferreira, foi anunciada a detenção de um homem de 43 anos pela presumível autoria de um incêndio florestal ocorrido em Paços de Ferreira.

Em comunicado, a PJ refere que o fogo terá sido provocado pelo suspeito com recurso a um isqueiro, num “aparente” quadro de embriaguez.

A detenção foi o culminar de diligências desenvolvidas para identificação do autor, na sequência da deflagração de incêndio em zona florestal contígua a zona urbana, tendo colocado em risco habitações existentes na localidade de Ferreira, Paços de Ferreira”, acrescenta o comunicado.

O suspeito, detido fora de flagrante delito e com a colaboração da GNR de Freamunde, é marceneiro de profissão e vai ser presente a primeiro interrogatório judicial para aplicação das respetivas medidas de coação.

A PJ informou que, este ano, já identificou e deteve seis dezenas de pessoas pela autoria do crime de incêndio florestal.