Pela primeira vez nos últimos dias não há qualquer incêndio em curso no país, informa a Proteção Civil, no seu site.

Apesar de nesta quinta-feira, desde as 00:00 se tenham registado 12 ocorrências, a manhã é de descanso para os bombeiros, depois de dominado o incêndio de maiores dimensões que lavrava no país, concretamente no Parque Natural da Serra da Estrela.

No entanto, de acordo com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), s eis concelhos de Portugal continental apresentam hoje risco máximo de incêndio. São eles Mação e Sardoal (Santarém), Vila de Rei e Oleiros (Castelo Branco), Pampilhosa da Serra (Coimbra) e Monchique (Faro).

Mais de meia centena de concelhos, com incidência para o norte interior, encontram-se com risco muito elevado de incêndio, enquanto os restantes estão ‘pintados’ a laranja e amarelo, cores que representam risco elevado e moderado de incêndio, respetivamente.

Só os concelhos dos distritos do litoral norte, de Viana do Castelo, Braga, Porto até Aveiro, apresentam risco reduzido de incêndio.

O risco de incêndio determinado pelo IPMA engloba cinco níveis, que podem variar entre reduzido e máximo.

O cálculo é feito com base nos valores observados às 13:00 em cada dia relativamente à temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

Na quarta-feira, a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) registou 150 incêndios que foram combatidos por 2.290 operacionais, com o apoio de 539 meios terrestres e 46 aéreos.