Os bombeiros dominaram já o incêndio que lavrava em Benespera, distrito da Guarda e que chegou a mobilizar mais de duas centenas de homens.

O fogo foi dado como dominado às 03:20. De acordo com a Proteção Civil, o fogo teve origem numa trovoada seca registada esta quarta-feira.

Durante a madrugada ontem, os bombeiros conseguiram dominar as chamas, mas por ser uma zona de difícil acesso foram registados reacendimentos ao longo do dia. O incêndio chegou a ter duas frentes ativas e a ameaçar algumas localidades.

Quanto ao panorama para esta sexta-feira, mais de meia centena de concelhos de dez distritos de Portugal continental apresentam hoje risco máximo de incêndio, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Em risco máximo de incêndio estão mais de 50 concelhos dos distritos de Faro, Santarém, Castelo Branco, Portalegre, Coimbra, Guarda, Viseu, Porto, Aveiro, Bragança e Braga.

O IPMA colocou também em risco muito elevado e elevado de incêndio vários concelhos de todos os distritos de Portugal continental.

O risco de incêndio determinado pelo IPMA engloba cinco níveis, que podem variar entre o "reduzido" e o "máximo".

O cálculo é feito com base nos valores observados às 13:00 em cada dia relativamente à temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

O IPMA prevê para hoje no continente céu pouco nublado ou limpo, apresentando-se temporariamente muito nublado no litoral oeste até meio da manhã e vento em geral fraco do quadrante norte, soprando moderado no litoral oeste a partir do início da tarde, com rajadas até 60 quilómetros por hora.

Nas terras altas, vento soprará moderado a forte de norte, sendo de nordeste no interior Norte e Centro até ao início da manhã e a partir do final da tarde.

A previsão aponta ainda para neblina ou nevoeiro matinal em alguns locais do litoral e uma pequena subida da temperatura máxima no litoral Norte e Centro.

As temperaturas mínimas no continente vão variar entre os 14 graus (Bragança, Braga e Porto) e os 24 (em Faro) e as máximas entre os 25 (em Aveiro) e os 38 (em Évora).

Quase todas as regiões do país em risco muito elevado de exposição aos UV

Quase todas as regiões de Portugal continental e dos arquipélagos da Madeira e Açores apresentam hoje risco muito elevado de exposição à radiação ultravioleta (UV), segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Em risco muito elevado estão os distritos de Braga, Porto, Bragança, Vila Real, Viseu, Coimbra, Guarda, Leiria, Castelo Branco, Portalegre, Lisboa, Setúbal, Santarém, Viana do Castelo, Évora, Beja e Faro) e ainda Funchal e Porto Santo (arquipélago da Madeira) e as ilhas Terceira e Faial (grupo central dos Açores).

O distrito de Aveiro, no continente, e as ilhas de S. Miguel e Flores, nos Açores estão hoje em risco elevado de exposição à radiação UV.

Para as regiões com risco muito elevado e elevado, o IPMA recomenda a utilização de óculos de sol com filtro UV, chapéu, ‘t-shirt’, guarda-sol, protetor solar e evitar a exposição das crianças ao Sol.

O índice ultravioleta varia entre 1 e 2, em que o risco de exposição à radiação UV é baixo, 3 a 5 (moderado), 6 a 7 (elevado), 8 a 10 (muito elevado) e superior a 11 (extremo).