A GNR indicou hoje que vai prolongar até 1 abril as ações de sensibilização e de informação à população sobre a limpeza dos terrenos, uma operação que já envolveu mais de 80 mil pessoas.

Numa nota enviada à agência Lusa, um dia depois de o Governo ter aprovado um decreto-lei para flexibilizar os prazos de limpeza das matas de forma a prevenir o alastramento de incêndios, a GNR reforça que vai continuar até 01 de abril o período de prevenção, sensibilização e de identificação de situações de incumprimento da falta de limpeza dos terrenos, com especial incidência nas freguesias com maior risco de incêndio.

A Guarda Nacional Republicana adianta que, a partir de 2 de abril, vai exercer “uma forte ação de fiscalização sobre os terrenos identificados em incumprimento, procedendo quando necessário ao levantamento do competente auto de contraordenação”.

No entanto, e conforme está previsto no decreto-lei, estes autos ficam sem efeito se, até ao dia 31 de maio, o proprietário fizer a limpeza dos terrenos a que está legalmente obrigado, explica aquela força de segurança.

A GNR realça que a fase de sensibilização constitui “uma importante forma de prevenir e consciencializar para a defesa da floresta contra incêndios” e tem como objetivo “incutir às populações para o rigoroso cumprimento das medidas legalmente implementadas para reduzir o número de ignições e a intensidade e perigosidade dos incêndios quando estes ocorrem”.

A operação Floresta Protegida está a ser realizada pelo Serviço de Proteção da Natureza e Ambiente (SEPNA) e Grupo de Intervenção de Proteção e Socorro (GIPS) da GNR, tendo até ao momento efetuado 5.677 ações de sensibilização que envolveram mais de 80.000 pessoas.