Catorze estradas das regiões do Norte e Centro estavam cortadas ao trânsito devido a vários incêndios cerca das 14:30 desta segunda-feira, segundo um novo balanço da GNR.

De acordo com a GNR, a A13 estava cortada no distrito de Coimbra em dois locais, em Condeixa e em Almalaguês, sendo inexistentes alternativas a esta via nestes dois locais.

Também cortados estavam o IP6 em São Pedro de Alva e o IP3 em Oliveira do Mondego, ambas sem alternativa e no concelho de Penacova (distrito de Coimbra).

A A25 está cortada entre o Alto do Leomil, no concelho de Almeida, e a Guarda, sendo a alternativa a circulação pela Estrada Nacional (EN) 324 e a EN221.

Estão ainda cortadas, sem alternativa, as EN309, entre Espinho (no distrito de Aveiro) e Braga, e a EN16, em Almeidinha, Granja (Mangualde, no distrito de Viseu).

No concelho de Seia, distrito da Guarda, estão cortadas a EN17 em Folhadosa, a EN231 em Paranhos da Beira e a EN339 entre Aldeia da Serra e Sabugueiro.

A EN17 está também cortada entre Póvoa das Quartas e Lagos da Beira (Oliveira do Hospital), sendo a alternativa a circulação pela EN 230 no sentido de Lagares da Beira e a EM503, no sentido Várzea de Meruge-Seia, e a EM514 no sentido de Sandomil-Seia.

No distrito de Castelo Branco, estão cortadas a EN238 em Mosteiro, concelho de Oleiros, sendo alternativa a circulação pela EN 351, e a EN 350 em Pedrógão Pequeno (concelho da Sertã), sendo a alternativa a EN351 entre Proença-a-Nova e Oleiros.

A EN109 está cortada entre Carriço e Vieirinhos (Pombal, Leiria), sendo a alternativa a circulação por estradas municipais e pela A17, e a EN333 em Paços Vilharigues, no concelho de Vouzela e distrito de Viseu, sendo possível a circulação pela EN16 no sentido de Viseu.

Quatro comboios retidos na Linha da Beira Alta

A circulação ferroviária na Linha da Beira Alta continuava às 12:00 desta segunda-feira suspensa, estando retidos dois comboios em Coimbra, um em Vilar Formoso (Guarda) e outro em Santa Comba Dão (Viseu), informou a CP.

Em comunicado, a CP fez o ponto de situação sobre as quatro composições, que transportavam no total cerca de 760 passageiros.

Uma das composições afetadas foi o comboio Internacional Sud-Lusitânia, em Vilar Formoso, distrito da Guarda, “estando em curso o transbordo de cerca de 160 passageiros, em direção a Lisboa”.

Na cidade de Coimbra ficaram suspensas uma composição do comboio Internacional Sud–Lusitânia (300 passageiros) e um Intercidades (150 passageiros).

No caso do Internacional Sud, a CP referiu que o transbordo dos cerca de 300 passageiros terá início por volta da 13:30, em direção a Lisboa.

Já no caso do Intercidades, o transbordo dos cerca de 150 passageiros, com destino à Guarda, já teve lugar.

No distrito de Viseu encontrava-se também uma composição suspensa, em Santa Comba Dão, tendo-se já iniciado o transbordo de cerca de 150 passageiros.

Pelo menos 31 pessoas morreram nas centenas de incêndios que deflagraram no domingo, o pior dia do ano em fogos, segundo um novo balanço da Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC).

Segundo Patrícia Gaspar, da ANPC, os mortos foram registados nos distritos de Coimbra, Aveiro, Castelo Branco e Viseu.

Portugal acionou o Mecanismo Europeu de Proteção Civil e o protocolo com Marrocos, relativos à utilização de meios aéreos.

Esta é a segunda situação mais grave de incêndios com mortos este ano, depois de Pedrógão Grande, no verão, um fogo que alastrou a outros municípios e que provocou 64 mortos e mais de 200 feridos.