O incêndio de Águeda estava dado como dominado desde as 09:45 mas o comandante da Autoridade Nacional de Proteção Civil que estava no local sublinhava que ainda havia muito trabalho para fazer porque o fogo tem grande potencial de reativação. Durante o dia temeu-se o pior com o aumento da intensidade do vento mas, por enquanto, a situação parece controlada.

Às 09:45 de hoje, a ANPC dava como dominado o incêndio de Águeda. Ao início da tarde permaneciam no local 296 operacionais e 105 meios terrestres. 

No entanto, “ainda não estamos descansados”, admitiu o responsável, explicando que este incêndio “tem muitos pontos quentes” que podem reacender, disse à Lusa o comandante operacional do agrupamento sul da ANPC, Elísio Oliveira.

“Ainda temos trabalho para os próximos dias e estamos muito dependentes das condições meteorológicas”, concluiu o comandante da ANPC, sublinhando que este fogo tem “um potencial muito grande de reativar”.

Antes, o presidente da Câmara local, Gil Nadais, já tinha dito que o incêndio que está a lavrar há quatro dias em Águeda, distrito de Aveiro, baixou para uma frente ativa e a noite esteve "bastante calma", disse à Lusa.

Em declarações à Lusa o autarca disse que se se mantiverem estas condições o fogo poderá estar dominado no sábado de manhã.

O presidente da Câmara estima que nos últimos dias as chamas tenham consumido mais de 30% da área do concelho, vincando que "ardeu quase tudo até ao IC2, com exceção das zonas urbanas".

Quanto a danos materiais, este incêndio, que começou às 04:00 de segunda-feira, destruiu um armazém de materiais de construção e alguns anexos, além de toda a madeira.

O incêndio que lavra no concelho vizinho de Albergaria-a-Velha, foi dado como dominado, mantendo-se no terreno 93 operacionais e 33 viaturas.

Ainda no distrito de Aveiro, o incêndio de Arouca, que foi dado como dominado cerca das 20:30, voltou a estar ativo e tem, neste momento, uma frente ativa, que está a ser combatida por 510 homens e 163 viaturas.