O incêndio que deflagrou esta sexta-feira de madrugada no sítio da Corujeira, no Monte, no concelho do Funchal, propagou-se até à Fundoa, obrigando à evacuação de algumas empresas localizadas no sopé da encosta com o mesmo nome.

«Nós estamos aqui de prevenção, pedimos às pessoas para abandonarem as empresas devido à eventual queda de pedras devido ao incêndio que se desenvolve na encosta», disse à agência Lusa uma fonte dos Bombeiros Municipais do Funchal.

A encosta é de difícil acesso e preenchida por mato e eucaliptos. Nesta zona existem algumas britadeiras e armazéns de empresas transitárias.

«Julgava que era a água da levada a correr, mas fui abrir a janela para ver o que era e deparo-me com o lume em frente», disse João Perestrelo, morador no caminho dos Tornos, no interior do sítio da Corujeira.

O fogo destruiu uma zona de árvores a uns 500 metros de distância da habitação. «É só mato ali, são fazendas abandonadas, isto é pólvora», alerta.

As zonas montanhosas do arquipélago da Madeira estão sob um aviso laranja de calor até às 21:00 de sábado, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera.