Duas pessoas terão sido, esta quinta-feira, transportadas para o hospital, na sequência de um incêndio num prédio de três andares no Beato, em Lisboa, de acordo com várias testemunhas no local.

Da parte do regimento dos Sapadores Bombeiros de Lisboa, o chefe Franco confirmou apenas um ferido, mas residentes na zona garantem que a moradora do andar onde se iniciaram as chamas também foi transportada para receber assistência médica.

Em declarações aos jornalistas, o responsável dos bombeiros relatou as dificuldades com que se depararam no combate às chamas, devido às «vias exíguas» e ao «muito e quente fumo». As causas do incêndio ainda são desconhecidas, segundo o chefe dos bombeiros.

O chefe Franco contou que o fogo «rapidamente se propagou» do rés-do-chão às águas furtadas, devido aos isolamentos do prédio em «lã rocha».

O combate ao fogo foi feito através de edifícios localizados junto ao prédio atingido pelas chamas.

O chefe Franco testemunhou ter ouvido duas explosões no local para as quais apresentou duas hipóteses: garrafas de gás ou explosão de fumos.

No local estiveram 35 homens e o combate foi iniciado pelos bombeiros dos Olivais e Beato.

Um morador contou à Lusa que o incidente começou cerca das 07:30, mas que foi pelas 09:00 que mais chamas se observavam.

A moradora do 2.º andar terá saído do prédio inanimada, segundo a mesma testemunha, e transportada para o hospital. A moradora da casa onde se iniciou o fogo, «funcionária da Câmara Municipal de Lisboa», também terá sido transportada para receber cuidados médicos, com uma outra testemunha a garantir que a sua mulher a está a acompanhar.