A GNR reforça, durante o fim de semana, a fiscalização à condução sob efeito do álcool e droga, numa operação que visa também o combate à criminalidade, indicou esta sexta-feira a corporação.

Em comunicado, a Guarda Nacional Republicana adianta que, para a operação denominada «Baco», vão estar mobilizados 1 505 militares das Unidade de Intervenção, Unidade Nacional de Trânsito e dos comandos territoriais, que vão realizar 594 ações de fiscalização.

Segundo a GNR, as ações de fiscalização vão estar «direcionadas para as vias onde as infrações por excesso de álcool são mais frequentes e dão origem a um risco acrescido de acidentes de viação, sobretudo para as estradas nacionais, regionais e municipais de acesso a estabelecimentos de diversão noturna, e nos casos em que existam dados ou indícios da prática de ilícitos de natureza criminal».

A GNR refere que este ano fiscalizou 192 444 condutores, dos quais 4.107 conduziam com taxa de álcool no sangue (TAS) superior ao permitido por lei, e 1 636 foram detidos por conduzirem com taxa crime (igual ou superior a 1,20 gramas por litro).

A corporação refere também que «a redução dos índices de sinistralidade rodoviária continua a ser uma prioridade», estando planeadas para este ano diversas operações nacionais dirigidas para os três principais fatores de agravamento dos acidentes, designadamente a condução sob o efeito do álcool, excesso de velocidade e não utilização dos cintos de segurança.

Com esta operação, que se realiza no sábado e no domingo, a GNR tenciona contribuir para a tendência de diminuição de vítimas mortais resultantes de acidentes rodoviários nas estradas portuguesas, refere ainda o comunicado.