Um total de 21.548 pessoas foram fiscalizadas durante uma operação nacional efetuada pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) entre os dias 9 e 15 deste mês, informou esta quinta-feira o SEF.

Segundo adianta o SEF, foram fiscalizados 21.548 cidadãos de 120 nacionalidades, designadamente 18.110 nacionais de Estados membros/espaço Schengen ou associados e 3.438 nacionais de países terceiros.

Da ações de fiscalização resultaram nove detenções, seis por entrada e/ou permanência irregular, uma por violação de interdição de entrada, uma por posse de estupefacientes (23,5 gramas de heroína) e uma por uso de documento falso.

Cinco cidadãos foram entregues às autoridades espanholas, com base no Acordo de Readmissão celebrado entre os dois países.

Foram ainda notificados nove cidadãos, dois para abandonar voluntariamente o país no prazo de 20 dias e sete cidadãos para comparência no SEF.

O SEF acrescenta que foram também instaurados sete processos de contraordenação, cinco por acesso não autorizado à zona internacional dos portos e cinco por excesso de permanência em território nacional.

Foram também contabilizadas três medidas cautelares, uma referente a uma vigilância discreta, e duas interdições de entrada em território nacional e espaço Schengen.

Cinco cidadãos foram impedidos de embarcar com destino a outros países Schengen por ausência de documentos de viagem válidos para o efeito.

A operação do SEF decorreu em todo o território nacional e teve como objetivo intensificar o controlo e fiscalização de cidadãos na utilização de trajetos internos e ligações entre países Schengen, a verificação documental, a recolha e tratamento de informação sobre os fluxos migratórios, bem como o combate ao tráfico de seres humanos e criminalidade organizada.

A fiscalização abrangeu aeroportos, portos, marinas, ancoradouros, estações de comboio e de metropolitano, ligação ferroviária Portugal/Espanha e principais eixos rodoviários de ligação à fronteira..