A Guarda Nacional Republicana inicia, segunda-feira, uma semana de fiscalização intensiva ao uso do cinto de segurança e de sistemas de retenção para crianças, operação que vai abranger mais de duas mil inspeções, divulgou este domingo o Comando-geral.

A operação da Guarda Nacional Republicana (GNR), que vai decorrer até 16 de março, vai mobilizar 5417 militares da Unidade Nacional de Trânsito e dos comandos territoriais, referiu um comunicado enviado às redações.

As 2408 ações de fiscalização previstas pelo Comando-geral da GNR vão incidir em «vias onde as infrações por falta de uso dos dispositivos de retenção são mais frequentes», indicou a mesma nota informativa.

No ano de 2013, no âmbito desta operação designada «Tispol - Seatbelt Operation», foram fiscalizados 51 106 condutores, dos quais 1767 circulavam em infração, por falta de cinto de segurança ou por não utilização de sistemas de retenção para crianças.

«Estes dispositivos reduzem a ocorrência de ferimentos ou a sua gravidade, nos ocupantes de uma viatura automóvel interveniente em acidente de viação», sublinhou a entidade.

O Comando-geral da GNR recorda, no entanto, que as estatísticas dos acidentes de viação ocorridos em Portugal «continuam a apresentar números preocupantes sobre esta matéria, muito particularmente de crianças, jovens e de adultos que se fazem transportar nos bancos da retaguarda dos veículos ligeiros de passageiros e nos veículos pesados de mercadorias e de passageiros, sem fazerem uso de sistema de retenção».