A GNR indicou que os militares do Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente (SEPNA) realizam, até 15 de janeiro, em todo o país, ações de fiscalização em instalações fabris de produção de azeite.

A operação, denominada «Lagareiro 2013/2014», tem como objetivo identificar e reprimir incumprimento à legislação em vigor, nomeadamente no que respeita ao funcionamento e licenciamento dos lagares de azeite e ao encaminhamento e gestão de resíduos, refere o comando-geral da Guarda Nacional Republicana (GNR), em comunicado divulgado esta quinta-feira.

A GNR adianta que a fiscalização dos lagares permite ainda «a aquisição de informação detalhada sobre o tipo e quantidade de resíduos produzidos, bem como do seu tratamento, acondicionamento e destino».

Segundo a corporação, os militares do SEPNA da GNR vão estar atentos «ao licenciamento dos lagares, à gestão de todos os resíduos provenientes da transformação da azeitona em azeite, bagaço e águas ruças e outras situações ilegais que constituam infração às normas de proteção do ambiente».

A GNR refere que «a correta gestão dos resíduos assume especial importância na prevenção de agressões ao ambiente, sendo que nem sempre são usados os métodos produtivos mais benéficos para o meio, nem tidos em conta os cuidados necessários para evitar derrames de águas poluídas e de outros resíduos no solo», cita a Lusa.