Catorze pessoas, incluindo uma grávida, foram assistidas esta semana no serviço de saúde instalado no festival “Andanças”, em Castelo de Vide, Portalegre, com sintomas de gastroenterite, revelou hoje à agência Lusa fonte hospitalar.

De acordo com o enfermeiro diretor da Unidade Local de Saúde do Norte Alentejano (ULSNA), António José Miranda, a grávida foi hoje assistida, por precaução, no hospital de Portalegre, observada pela urgência obstétrica e já teve alta.

O serviço de saúde instalado pela ULSNA no recinto do festival é composto por vários profissionais da unidade, incluindo pediatras.

Os 14 casos, sem gravidade, foram registados pelos profissionais de saúde que estão no “Andanças” desde segunda-feira, dia em que abriu o festival, indicou o mesmo responsável, frisando que estas situações "são anualmente frequentes no decorrer do festival".

Vamos continuar atentos. A unidade de saúde pública está no terreno e vão ser feitas análises para apurar se houve alguma causa comum relativamente a estas pessoas”, acrescentou.

Contactada pela Lusa, Catarina Serrazina, da organização do “Andanças”, afirmou que os promotores do festival estão “atentos” a este tipo de situações, “não havendo motivos para alarme”.

A organização está atenta, temos uma equipa médica no terreno e uma equipa epidemiológica que estão a fazer o acompanhamento”, disse.

Na quarta-feira à tarde, um incêndio que deflagrou num dos parques de estacionamento do evento destruiu mais de 400 viaturas, mas não causou danos pessoais.

No total, a GNR registou 444 participações referentes a veículos destruídos ou danificados parcialmente no incêndio.

A 21.ª edição do “Andanças” - Festival Internacional de Danças Populares decorre, desde segunda-feira e até domingo, numa área de 28 hectares nas margens da albufeira de Póvoa e Meadas, no concelho de Castelo de Vide, distrito de Portalegre, esperando um total de 40 mil visitantes.

O festival é promovido pela Pédexumbo - Associação para a Promoção da Música e Dança.