Um cigarro mal apagado pode ter estado na origem do incêndio que atingiu 444 carros no parque de estacionamento do Festival Andanças, em Castelo de Vide.

Segundo o Jornal de Notícias, que cita fonte policial, as peritagens demonstram que as chamas deflagraram no exterior das viaturas sinalizadas. 

A TVI apurou que ainda está por definir a origem real do fogo, podendo ter sido também um plástico. O certo é que o incêndio começou fora de qualquer carro.

Na sexta-feira, a GNR já tinha afastado a hipótese de mão criminosa, confirmando que não se tratou de fogo posto. As autoridades identificaram três veículos chave e num deles estará a resposta para o início do incêndio que destruiu 422 viaturas

Caso se confirme que foi uma beata mal apagada que provocou as chamas, só a seguradora do festival se poderá responsabilizar pelos danos causados. 

Resta saber se o seguro que a organização fez para o evento cobre prejuízos desta natureza.

As autoridades terminaram, na manhã de sexta-feira, os trabalhos de identificação dos veículos e dos proprietários lesados.

“Todo o trabalho de identificação dos veículos e dos seus proprietários está concluído. Durante a tarde, vamos começar a contactar os proprietários para fazer a entrega formal das viaturas”, disse o Tenente -Coronel da GNR, Carlos Belchior.

A 21.ª edição do “Andanças” - Festival Internacional de Danças Populares decorre, desde segunda-feira e até domingo, numa área de 28 hectares nas margens da albufeira de Póvoa e Meadas, no concelho alentejano de Castelo de Vide, esperando um total de 40 mil visitantes.