Uma cidadã portuguesa ficou esta madrugada ligeiramente ferida no acidente que de um navio de passageiros que fazia a ligação entre Hong Kong e Macau, disse à agência Lusa o cônsul-geral de Portugal em Macau e Hong Kong, Vítor Sereno.

De acordo com o diplomata português, que foi alertado para o acidente ainda de madrugada e iniciou contactos com as autoridades de Hong Kong, a cidadã portuguesa «é residente em Macau e teve apenas pequenas escoriações, estando já a caminho do território».

«Conseguimos identificar a cidadã portuguesa e estabelecer o contacto e sabemos que está bem, que apenas teve ligeiras escoriações e está já a caminho de Macau sem qualquer problema», acrescentou Vítor Sereno.

O diplomata disse também que as autoridades de Hong Kong revelaram que o acidente com o jatoplanador «Madeira», um navio da Turbo Jet, empresa fundada pelo magnata dos casinos Stanley Ho, provocou 85 feridos, sendo que três são considerados «graves».

«Os feridos estão internados em seis hospitais de Hong Kong», disse Vítor Sereno ao salientar ainda que entre estes há 25 homens e 21 mulheres.

O navio fazia a ligação entre Hong Kong e Macau e chocou com um objeto não identificado à deriva no mar perto da ilha de Lantau, onde está situado o aeroporto internacional da antiga colónia britânica.

Com 105 passageiros e 10 tripulantes a bordo, o navio acabaria por conseguir chegar pelos próprios meios ao porto de Sheung Wan.

Governo de Macau destaca pessoal para Hong Kong após acidente com ferry

O Governo de Macau destacou pessoal para Hong Kong para prestar assistência após o acidente, desta madrugada.

Em comunicado, a Direção dos Serviços de Assuntos Marítimos e de Água (DSAMA, antiga Capitania dos Portos), informa ter enviado, a par com o Gabinete de Gestão de Crises do Turismo, pessoal para a antiga colónia britânica para prestar ajuda aos 16 residentes de Macau feridos.