O funcionário do Serviço de Informações de Segurança (SIS) Frederico Carvalhão Gil foi hoje condenado a uma pena, em cúmulo jurídico, de sete anos e quatro meses de prisão pelos crimes de espionagem e corrupção passiva para ato ilícito.

O funcionário do SIS foi condenado a seis anos e seis meses de prisão pelo crime de espionagem e a dois anos e dois meses pelo crime de corrupção passiva para ato ilícito (agravado), tendo, em cúmulo jurídico, sido condenado pelo tribunal judicial da Comarca de Lisboa a uma pena única de sete anos e quatro meses de prisão.

Frederico Carvalhão Gil vai permanecer em prisão domiciliária com pulseira eletrónica.

A defesa já anunciou que vai recorrer da decisão condenatória para o tribunal da Relação de Lisboa.