O Tribunal de Viana do Castelo libertou esta sexta-feira dois homens detidos pela GNR após provocarem ferimentos a três militares daquela força durante uma perseguição policial na quinta-feira, disse à Lusa fonte ligada à investigação.

Os dois homens, de 46 e 19 anos, são suspeitos da «prática reiterada» de crimes de burla e furto a idosos no concelho de Caminha e foram libertados, após interrogatório judicial, com a obrigatoriedade de apresentações bissemanais às autoridades e proibição de contactos entre eles.

A investigação, por determinação do tribunal de Viana do Castelo, baixou a inquérito, a cargo da GNR.

A perseguição aos suspeitos por parte dos militares da GNR iniciou-se depois das 18:15 de quinta-feira passada, quando aquela força recebeu a denúncia de uma alegada tentativa de burla, por estes elementos, na freguesia de Amonde, em Viana do Castelo.

Seriam localizados a circular, pouco depois, na A27, em Lanheses, Viana do Castelo, altura em que, segundo fonte da GNR, foi iniciado «o seguimento» dos suspeitos e acionado «todo o dispositivo territorial», para reforço.

Ao aperceberem-se da operação, estes «encetaram uma fuga, a alta velocidade», durante a qual não obedeceram a uma ordem de paragem de um militar da GNR, devidamente uniformizado.

«Deliberadamente, tentaram atropelar o dito agente de autoridade, mas sem sucesso», disse a mesma fonte.

Em simultâneo, militares do Núcleo de Investigação Criminal de Valença da GNR montaram uma barragem de estrada já junto às portagens da A3, naquele concelho.

«Barragem essa que os suspeitos também ignoraram e, violentamente, embateram contra a viatura policial descaracterizada, tendo resultado elevados danos materiais em ambas as viaturas e ferimentos leves nos dois suspeitos e em três dos investigadores», disse a GNR.

Todos foram transportados ao Hospital de Viana do Castelo. Os dois suspeitos ficaram sob observação médica, tendo os militares da GNR recebido alta hospitalar horas depois.