O Tribunal de Ponta Delgada inicia na quarta-feira o julgamento de um jovem acusado de ter desferido um golpe com uma navalha a outro à saída de uma discoteca após uma festa de finalistas de uma escola secundária.

Este caso remonta à madrugada de 6 de agosto de 2011 quando o ofendido estava com «um grupo de amigos, numa festa de finalistas» de uma escola secundária de Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, nos Açores, e os dois rapazes ter-se-ão envolvido num «desentendimento».

O arguido ainda chegou a abandonar o local, a pedido de testemunhas, mas, segundo a acusação, «regressou» à rua da discoteca, provocando o ofendido.

Segundo a acusação, a que a agência Lusa tece acesso, posteriormente, ambos se «envolveram em agressões», tendo «o ofendido desferido um pontapé no arguido, atingindo-o nas pernas», enquanto que o arguido, «com uma navalha que ocultava na mão, [lhe] desferiu um golpe em profundidade».

O Ministério Público refere que o arguido fugiu para «um local desconhecido» e «levou consigo a navalha», enquanto a vítima «foi transportada para o hospital» de Ponta Delgada «onde foi de imediato sujeito a intervenção cirúrgica».

De acordo com a acusação, na casa do jovem que desferiu o golpe a polícia encontrou peças de roupa que este vestia «com vestígios de sangue».

O Ministério Público alega que os golpes com a navalha provocaram «lesão de um vaso sanguíneo de calibre considerável» e de «estruturas nervosas importantes» e a «hemorragia produzida causou perturbação de funções orgânicas vitais», ficando o rapaz com «desfiguração» e «perturbação da utilização do olho direito».

O Ministério Público acusa o jovem de um crime de ofensa à integridade física qualificada.