Os professores protestam hoje, em Coimbra, contra o Orçamento do Estado para 2014, prometendo queimar o documento à porta de um escola depois de uma ação de esclarecimento junto dos pais.

A iniciativa, da Federação Nacional de Professores (Fenprof), decorre durante a manhã, em frente à Escola Básica 2.3 da Pedrulha.

«Simbolicamente, o OE será destruído pelo fogo», depois de rasgado pelos professores, disse à agência Lusa o secretário-geral da Fenprof, Mário Nogueira. Sob o lema «Destruir o Orçamento do Estado para 2014 Antes que Este Destrua Portugal», a federação associa-se desta forma aos protestos que vão decorrer no dia em que o documento será aprovado em votação final global, na Assembleia da República, pela maioria PSD/CDS-PP.

Para a Fenprof, está em causa o orçamento «mais restritivo e violento de sempre, do período democrático», para os trabalhadores e para os serviços públicos.

«A educação é um dos alvos principais de um governo que tem por objetivo desmantelar a escola pública para entregar a empresários privados o que a Constituição da República impõe ao Estado», defende a Fenprof.