Cerca de 200 docentes aposentados, afetos à Federação Nacional dos Professores (Fenprof), que se concentraram esta quinta-feira em frente à residência oficial do primeiro-ministro, contra os cortes nas pensões, exigiram a demissão do Governo e entregaram um caderno reivindicativo.

No documento, exigem a reposição do valor das pensões, a revogação de todas as medidas «que foram impostas» e a revogação da contribuição extraordinária de solidariedade.

Pedem ainda a realização de uma auditoria à Caixa Geral de Aposentações, supervisionada pelo Tribunal de Contas, com o objetivo de saber qual a «situação das contas do Estado».