Dois médicos, um delegado de informação médica e uma proprietária de farmácia, nas zonas de Lisboa e de Trás-os-Montes, foram detidos pela Polícia Judiciária por crimes de falsificação de receituário médico, burla ao Estado, corrupção e associação criminosa.

De acordo com um comunicado da PJ, as detenções decorreram no âmbito da investigação de fraudes ao Serviço Nacional de Saúde (SNS), desenvolvida pela Judiciária através da Unidade Nacional de Combate à Corrupção (UNCC) e no âmbito de um inquérito dirigido pelo Ministério Público (DCIAP).

A mesma nota adianta que, no decurso da operação, foram realizadas ¿nove buscas domiciliárias e apreendido diverso material relacionado com a prática da atividade criminosa em investigação¿.

Os detidos serão presentes a tribunal, para determinação das medidas de coação.

De acordo com a PJ, «a investigação prossegue com vista à continuação de recolha de prova e ao apuramento do prejuízo causado ao Estado Português através de comparticipações indevidas».