Mais de 6.700 famílias de Lisboa, representando 18.273 pessoas, foram apoiadas em 2014 pelo Banco Alimentar, o maior número das quais na freguesia da Estrela, indicou esta segunda-feira o Observatório da Luta Contra a Pobreza na Cidade de Lisboa.

De acordo com os dados do Observatório, no ano passado os cabazes do Banco Alimentar de Lisboa (BAL) ajudaram 6.713 famílias na cidade, correspondendo a um total de 18.273 pessoas, um número um pouco inferior às 7.061 famílias apoiadas em 2013, num total de 18.394 pessoas.

Em 2012 foram 6.740 as famílias auxiliadas (17.630 pessoas), enquanto em 2011 foram 5.601 (15.182 pessoas).

O maior número de famílias está nas freguesias da Estrela, onde são auxiliadas 757, num total de 2.105 munícipes, e dos Olivais, onde recebem esta ajuda 545 famílias (1.638 munícipes).

Em Campo de Ourique recebem apoio 395 famílias, que representam, contudo, 1.330 pessoas, o terceiro posto em termos do número de cidadãos apoiados.

Em Santa Maria Maior são ajudadas 449 famílias (924 pessoas), em Arroios 472 famílias (827 pessoas) e em Marvila 384 famílias (994 pessoas).

Na Misericórdia são apoiadas 410 famílias (818 pessoas), na Penha de França 381 (990 pessoas), em Santa Clara 233 (945 pessoas) e em São Vicente 318 (854 pessoas).

As freguesias onde menos famílias e pessoas são apoiadas são as de Santo António, com 59 famílias (119 munícipes), de Belém, com 75 famílias (170 munícipes), e de Carnide, com 81 famílias (321 munícipes).

O Banco Alimentar de Lisboa registou ainda em 2014 um total de 127 pedidos de apoio direto, o maior número dos quais em Santa Clara (15 pedidos), em Arroios (14) e em Marvila (13).

Em 2013, tinham sido 205 os pedidos de apoio direto, que em 2012 foram 245 e no ano anterior 233.

O Observatório da Luta Contra a Pobreza na Cidade de Lisboa é uma iniciativa da EAPN Portugal - Rede Europeia Anti-Pobreza, que pretende contribuir para o conhecimento da realidade socioeconómica de Lisboa e as políticas e medidas de combate à pobreza e vulnerabilidade social.