O juiz de instrução criminal no Tribunal de Famalicão deixou, esta terça-feira, em liberdade os quatro elementos de uma família que terão agredido "violentamente" três militares da GNR na madrugada de segunda-feira em Delães, naquele concelho, disse à Lusa uma  fonte policial.

De acordo com a fonte, um dos arguidos ficou sujeito a apresentações bissemanais no posto policial da área de residência e os outros três terão de se apresentar uma vez por semana.

Os arguidos são pai e três filhos, com idades compreendidas entre os 26 e os 59 anos. O mais novo tinha saído da prisão no sábado, depois de cumprir pena por furtos e agressões.

Na madrugada de segunda-feira, quando circulava de motorizada, uma patrulha da GNR mandou-o o parar mas ele desobedeceu, fugindo para casa. A GNR perseguiu-o e os militares terão sido agredidos por ele, por dois irmãos e pelo pai.

Um dos elementos da GNR foi agredido com um pau na cabeça, tendo sido suturado com sete pontos. Outro ficou com um dedo partido. A patrulha da GNR foi obrigada a pedir reforços para deter os agressores.