Há risco iminente de escassez de água nos concelhos servidos pela Barragem de Fagilde, no distrito de Viseu, se continuar a não chover. Isso mesmo foi assumido pelo secretário de Estado do Ambiente, Carlos Martins.

No final de uma reunião da Comissão de Gestão de Albufeiras, que decorreu na Agência Portuguesa do Ambiente, Amadora, o governante mostrou aos jornalistas estar preocupado com a situação. 

Deveremos estar na iminência de vir a ter problemas de escassez [de água] relativamente significativos se não houver precipitação. Estamos em condições de poder antecipar daqui por um mês uma situação de alguma criticidade na Barragem de Fagilde".

A Barragem de Fagilde é aquela que assegura parte do abastecimento de água aos concelhos de Viseu, Mangualde, Nelas e Penalva do Castelo.

Veja também: Portugal com 60% do território em seca severa e extrema

A próxima reunião da Comissão de Gestão de Albufeiras será realizada, dentro de duas semanas, na Administração da Região Hidrográfica do Centro para "ver que medidas podem ser tomadas para tentar minimizar os problemas".

As previsões meteorológicas apontam em outubro, segundo o secretário de Estado, para temperaturas acima dos valores médios e quantidade de chuva abaixo da média, fazendo antever que, até dezembro, a quantidade de água armazenada nas albufeiras continue "abaixo dos valores médios".

Se não fosse a Barragem do Alqueva, no Alentejo, Portugal estaria "numa situação drástica", sem poder "minimizar os efeitos da seca".