O presidente do Colégio de Patologia Clínica da Ordem dos Médicos lamenta a falta de dados estruturados sobre a resistência a antibióticos fora da rede hospitalar, lembrando o papel que os laboratórios de análises podem ter nesta matéria.

«Infelizmente, até agora, a casuística dos laboratórios não hospitalares não tem sido devidamente coletada, de forma a permitir uma visão correta da problemática [da resistência aos antibióticos]», afirmou Manuel Cirne de Carvalho à agência Lusa, em vésperas do V Congresso Científico de Análises Clínicas, que começa na sexta-feira em Vilamoura.

A resistência aos antibióticos tem sido considerado um problema de saúde pública pela própria Organização Mundial de Saúde, mas os dados em Portugal resultam, na sua maioria, da experiência dos laboratórios hospitalares, quando o fenómeno não é exclusivamente hospitalar.