O reitor da Universidade dos Açores revelou hoje que, no âmbito da reestruturação interna, a academia vai passar a ter quatro faculdades, que se pretende que avancem já no próximo ano letivo.

“A reitoria da Universidade dos Açores apresentou uma estrutura que foi aprovada, por unanimidade dos seus órgãos, na última segunda-feira, e que prevê a criação de quatro grandes faculdades na academia, reduzindo de 10 para quatro as unidades orgânicas da estrutura mais pesada da instituição”, declarou aos jornalistas João Luís Gaspar.

O responsável máximo da academia, que falava na sequência da reunião de seis horas do Conselho Geral da Universidade dos Açores, no polo de Ponta Delgada, considerou que esta reestruturação orgânica, iniciada há cerca de um ano, vai permitir “ganhar muita sinergia” entre professores que estavam, de forma individualizada, a funcionar em departamentos muito pequenos, agora agrupados.

Desta forma, João Luís Gaspar considera que a Universidade dos Açores vai ganhar mais massa crítica e maior e melhor oferta letiva, reduzindo-se ainda os órgãos de decisão, que passam de 122 para 52, espalhados pelos três polos (Ponta Delgada, Horta e Angra do Heroísmo).


As quatro faculdades


O reitor especificou, citado pela Lusa, que passará a haver uma faculdade na área da economia e gestão, que compreenderá duas subunidades - uma na área de economia e direito e outra na área da gestão.

A segunda faculdade estará vocacionada para as ciências sociais e humanas, onde haverá uma secção dirigida para a história, filosofia e artes e outra na área da sociologia, que se autonomiza. Esta faculdade vai compreender também uma seção na área da psicologia e outra vocacionada para a educação. Haverá ainda um departamento para as línguas, literatura e culturas.

No campo das ciências naturais, exatas e tecnológicas, haverá também duas faculdades na Universidade dos Açores, uma de ciências agrárias e do ambiente, que ficará sediada no polo de Angra do Heroísmo.

A última das quatro faculdades é a de ciências e tecnologia, que vai incorporar em Ponta Delgada o departamento de biologia, bem como, na Horta, o departamento de oceanografia e pescas, ficando aí localizada a valência do mar.

Ainda na última faculdade, funcionará o departamento de geociências, a par da física, química e engenharia, dividindo-se o atual departamento de matemática em duas seções: uma vocacionada para a matemática e estatística e outra focada nas questões de informática, mas também nas tecnologias de informação.

“Estamos a falar de uma universidade que hoje deu um passo extremamente importante, decidindo uma reorganização mais leve, mais vertical, onde a descentralização possa, de facto, existir e as decisões possam ser tomadas de forma mais célere”, declarou João Luís Gaspar, que recordou que todo este processo padece da aprovação do Governo da República.