Um surto de tuberculose está a afetar o Externato Rumo ao Sucesso, um colégio de ensino especial, em Azeitão, no concelho de Setúbal, avança o jornal Público. O colégio é frequentado por cerca de duas centenas de crianças e jovens, entre os nove e os 30 anos e tem cerca de 50 funcionários.

O primeiro caso de tuberculose a ser detetado foi num aluno da instituição e já há seis casos confirmados. Há ainda dezenas de pessoas que transportam a bactéria e que estão em tratamento.

A tuberculose pode ser ativa ou latente e apenas nos casos ativos é que a doença se desenvolve, o que aconteceu com seis pessoas do Externo Rumo ao Sucesso, de Azeitão. No caso das outras pessoas, que estão a fazer tratamento, os rastreios detetaram a infeção, o que significa que estiveram em contacto com um doente e transportam a bactéria Mycobacterium tuberculosis, mas não desenvolveram a doença.

De acordo com o Público, a Direção Geral de Saúde admite que há uma possibilidade, ainda que baixa, de se virem a confirmar mais casos de tuberculose ativa, isto porque num espaço fechado, como um colégio, o nível de transmissão é elevado.

O jornal avança que fonte próxima do caso disse que a infeção foi detetada em 42 pessoas, de 80 que já foram avaliadas. Na maioria, tratam-se de infeções latentes. A fonte afirmou ainda que, dos 42 infetados, quatro alunos foram internados e um deles já teve alta. Os restantes estão em tratamento e a ser medicados, mas continuam no colégio.

Os rastreios estão a ser feitos pelo Centro de Saúde de S. Sebastião, no Vale de Cobro, em Setúbal.

O colégio continua de portas abertas e a ser frequentado por alunos e funcionários. A DGS refere que não é necessário fechar a instituição, de acordo com o Público.

O Correio da Manhã já tinha noticiado a suspeita de tuberculose no Externato Rumo ao Sucesso, há duas semanas, mas afirmava que não tinha passado de um susto e que a situação estava controlada.

Tutelado pelo Ministério da Educação, o Externato Rumo ao Sucesso acolhe crianças e jovens com necessidades educativas especiais. Tem alunos em regime interno, que dormem na instituição, e tem outros em regime externo, que vão para casa ao final do dia.