Os desacatos que envolveram finalistas portugueses, num hotel em Torremolinos, Espanha, terão resultado em prejuízos "entre 40 a 50 mil euros". A informação foi avançada à TVI por fontes da polícia local. 

A mesma fonte avança também que foram feitas "várias detenções". 

"Gritos e insultos"

Uma mulher que vive junto ao hotel Pueblo Camino Real, em Torremolinos, de onde foram expulsos cerca de mil jovens portugueses, este sábado, relata noite agitada. A mulher fala em “gritos e insultos”.

Gritos e… bem pelo tom de voz, parecia que eram insultos. Gritavam muito, ofendiam e cantavam. Não sei o que cantavam, mas cantavam muito alto. Ouviam-se pancadas.”

A mulher, que preferiu não ser identificada, contou à TVI que assistiu ao processo de retirada de parte dos jovens do hotel.  

A rua estava cortada pela polícia de Torremolinos. E eles disseram que não se podia passar porque que estavam os autocarros a receber jovens. Os que destruíram o hotel. Vimos passar… não quero mentir… mas vimos passar mais de 20 autocarros.”

Mil estudantes portugueses do ensino secundário foram expulsos do hotel onde estavam alojados.

Fonte do Hotel Pueblo Camino Real confirma que houve desacatos nas instalações envolvendo portugueses, mas não adianta mais informações, remetendo para uma conferência de imprensa a realizar na próxima segunda-feira.

Azulejos arrancados e colchões atirados pelas janelas

De acordo com o jornal El País, que fala em apenas 800 estudantes, a polícia avalia os estragos em “milhares de euros”, adiantando que o valor ainda depende de uma avaliação mais apurada.

De acordo com o mesmo jornal, que cita fontes policiais, os jovens terão arrancado azulejos, atirado colchões pelas janelas, esvaziado extintores nos corredores do hotel. A mesma fonte acrescentou que chegaram mesmo a mergulhar um televisor numa banheira.

O hotel em causa assegura nunca lhe ter acontecido nada semelhante antes.

VEJA TAMBÉM: 

Desacatos provocados por “grupo do Norte”

A TVI falou com a mãe de um dos jovens expulsos do hotel. A mesma fonte adianta que a viagem custou "entre 625 e 650 euros". O grupo a que o jovem pertence é proveniente de Odivelas, na zona de Lisboa, e tinha partido para as férias no último sábado. 

A mulher acrescenta que o valor pago pela viagem incluía alimentação e animação. Mas algumas festas acabaram por não acontecer como previsto. 

A mãe deste jovem com quem a TVI falou sublinha que o grupo de Odivelas não esteve envolvido nos desacatos, que foram levados a cabo "por um grupo do Norte" do país. Ainda assim, os 50 euros que tinham sido pagos a título de caução não foram devolvidos pelo hotel aos jovens, pagando o todo pela parte.