Os alunos do 12.º ano do Colégio São João de Brito colocaram este ano a escola lisboeta em primeiro lugar do ranking realizado pela agência Lusa, que revela uma descida média das notas nos exames nacionais.

Num universo de 619 estabelecimentos de ensino, apenas 151 tiveram média positiva nos exames nacionais do 12.º ano realizados pelos alunos no final do passado ano letivo, segundo os dados do Ministério da Educação e Ciência (MEC).

A partir de dados do ministério, a Lusa elaborou uma lista tendo em conta apenas as escolas com mais de 100 exames realizados.

Nesse ranking, as primeiras 21 escolas com melhores resultados nos exames do 12º ano são privadas, surgindo apenas em 22.º lugar a primeira pública, que este ano volta a ser a Secundária Infanta Dona Maria, de Coimbra.

O Colégio São João de Brito ocupa este ano o primeiro lugar da lista, apesar de ter descido a sua média nos exames nacionais de 14,12 para 13,9 valores.

Em segundo lugar surge o colégio portuense Nossa Senhora do Rosário (média de 13,87 valores), seguindo-se o Colégio Valsassina, em Lisboa (média de 13,49 valores). As duas escolas desceram um lugar no ranking e oito décimas na média dos exames realizados, em relação ao ano passado.

Ainda com uma média de 13,32 valores, o Colégio Moderno, em Lisboa, ocupa o quarto lugar, seguindo-se a Escola Técnica e Liceal Salesiana Santo António (Estoril) e o Colégio Santa Doroteia (Lisboa).

O Sagrado Coração de Maria e as Oficinas de São José, ambas em Lisboa, têm uma média de 12,8 valores tal como o Colégio da Rainha Santa Isabel, em Coimbra, que surge em 9.º lugar.

A lista de escolas particulares e cooperativas prolonga-se até ao 21.º lugar, até que surge a primeira escola pública do país: a Secundária Infanta Dona Maria, com uma média de 11,79 valores nos 774 exames.

No fim da lista, surge uma escola particular e cooperativa - Escola Portuguesa de Díli, onde foram realizados 144 exames e a média das notas foi de 6,6 valores, seguindo-se a Básica e Secundária de Santo António, no Barreiro (sete valores) e o Externato Académico, no Porto.

A Escola Básica e Secundária de Pinheiro (Penafiel), a escola do Cerco (Porto), e a Escola Básica e Secundária de Mogadouro também estão entre as que obtiveram piores resultados médios nos exames.

O Instituto Educativo de Souselas (Coimbra) surge em sétimo lugar, seguindo-se a Secundária Matias Aires (Mira-Sintra), a Básica e Secundária Passos Manuel (Lisboa) e a Secundária Prof. Dr. Flávio F. Pinto Resende, em Cinfães.

Dona Maria é 1.º pública mas desce um lugar no ranking geral

A Secundária Infanta Dona Maria, em Coimbra, volta a ser a escola pública com melhor média nacional, tendo descido um lugar no ranking elaborado pela Lusa, onde os primeiros 21 lugares são ocupados por estabelecimentos particulares.

A média dos 774 exames realizados pelos alunos da Infanta Dona Maria foi de 11,79 valores e a escola ficou em primeiro lugar da lista elaborada pela Lusa em que foram analisados apenas os estabelecimentos públicos de ensino com pelo menos 100 exames realizados.

Na lista que engloba estabelecimentos públicos e privados, a Infanta Dona Maria surge este ano em 22.º lugar. Em relação ao ano anterior, a média dos exames dos alunos do 12.º ano da secundária de Coimbra baixou 0,7 valores e a escola desceu um lugar no ranking.

A Escola Básica e Secundária Clara de Resende, no Porto, ocupa este ano o segundo lugar da lista dos estabelecimentos públicos. Apesar de a média dos exames dos alunos da Clara Resende também ter descido (de 11,68 para 11,66 valores), a escola subiu 13 lugares no ranking geral, ocupando agora um 23.º lugar.

A Secundária José Estevão, em Aveiro, a José Gomes Ferreira, em Lisboa, e a Raúl Proença, nas Caldas da Rainha, são as outras três públicas mais bem classificadas (25.º, 26.º, 27.º lugares do ranking geral).