Coimbra, o distrito com melhor média de exames e uma das melhores médias de classificação interna no país, é também aquele com maior percentagem de professores dos quadros nas suas escolas, com 85% dos docentes vinculados.

Segundo uma análise feita pela agência Lusa a dados agora disponibilizados pelo Ministério da Educação e Ciência (MEC) relativos à situação socioeconómica dos alunos que frequentavam as escolas públicas no ano letivo de 2011/2012, Coimbra tem, no entanto, apenas 5% dos docentes dos quadros a nível nacional.

No total de professores efetivos em todo o país, são os distritos de Lisboa e Porto que concentram as percentagens mais elevadas de docentes a trabalhar nas suas escolas, com 16% e 15%, respetivamente.

Mas olhando apenas para o número de professores efetivos a lecionar em cada distrito, Lisboa e Porto têm percentagens mais baixas do que Coimbra: no distrito da capital do país as escolas têm 71% dos seus docentes nos quadros do ministério, enquanto no distrito do norte são 74,5% os professores nestas condições.

A maioria dos distritos tem o quadro de pessoal das suas escolas composto por uma percentagem de docentes efetivos que varia entre os 70% e os 85%. A exceção é o distrito de Beja, com uma percentagem de professores vinculados nas escolas de 68%.

Em termos nacionais Lisboa e Porto são os únicos distritos que reúnem, cada um, mais de 10% de docentes dos quadros. Bragança, Guarda, Portalegre e Vila Real são os distritos com a percentagem mais baixa de docentes vinculados nas escolas, cada um deles com 2% de docentes com contrato sem termo certo.

Estes quatro distritos estão entre os cinco com médias de exame mais baixas. No caso de Portalegre, para além de ser o que regista a média de exames mais baixa, é também o que tem a menor classificação interna final.