Quase 90% das escolas com provas finais do 9.º ano a Português e Matemática «chumbaram» nos exames, uma vez que apenas 158 das 1.308 escolas onde estes se realizaram registaram uma média positiva na conjugação das duas disciplinas.

Coimbra é o melhor distrito, apesar da média negativa

De acordo com a lista elaborada pela agência Lusa, que hierarquiza as escolas tendo em conta os resultados médios nos exames e a informação disponibilizada pelo Ministério da Educação e Ciência (MEC), o Externato Nossa Senhora da Paz, no Porto, com 44 exames realizados registou uma nota média na conjugação dos dois exames de 4,02 valores, a mais alta em todo o país.

A média de exames nesta escola - a única acima dos 4 valores - é também ligeiramente superior à média da classificação interna, que, no caso, se fixou nos 4 valores.

Até ao 9.º ano de escolaridade as notas são atribuídas com base numa escala de 1 a 5, sendo que apenas a partir do nível três as notas são consideradas positivas.

No ano letivo de 2012/2013 fizeram exame no 9.º ano cerca de 98 mil alunos.

Entre as escolas com melhores médias nos exames estão ainda, e por ordem decrescente até ao 5.º lugar, o Colégio de Fornelos, em Fafe (média de 3,97 em 30 exames); o Colégio dos Cedros, em Vila Nova de Gaia (média de 3,97 em 30 exames); o Colégio Horizonte, no Porto (média de 3,91 em 22 exames) e o Colégio Plátanos, em Sintra (média de 3,90 em 114 exames).

Pela negativa, a escola pior classificada na lista que hierarquiza as médias dos exames é o Centro de Pedagogia Terapêutico Bola de Neve, em Lisboa, com uma média de 1,25 em quatro exames realizados. No entanto, este é um centro focado no trabalho com alunos do ensino especial.

O centro é precedido na lista pela Escola Básica Integrada Apelação, em Loures, com uma média de exames de 1,38 valores em 13 exames realizados. Já a nota média da classificação interna da escola é positiva, fixando-se nos 3,46 valores.

Entre as cinco piores classificadas estão também a Escola Básica Integrada com Jardim de Infância Monte de Caparica, em Almada, a Escola Secundária com 3.º ciclo de Sacavém, em Loures e a Escola Básica Integrada Mouzinho da Silveira, nos Açores, todas com médias de exames inferiores a dois valores.

Os resultados indicam que 1.150 escolas registaram uma média de exames negativa, sendo que 1.100 estabelecimentos (cerca de 85% das escolas) obtiveram uma nota média nas provas entre os 2 e os 2,99 valores.

Entre as escolas que realizaram mais de 100 exames, o Colégio dos Plátanos, que já integrava a lista das cinco melhores no geral, é a melhor classificada. A pior classificada nessa lista é a Escola Básica Integrada de Rabo de Peixe, nos Açores, com uma média de exames de 1,76.

Raparigas são melhores a Português, rapazes a Matemática

Nos exames do 9.º ano as raparigas foram melhores a Português, e os rapazes a Matemática, mas todos tiveram média negativa, mostram os dados do Ministério da Educação e Ciência (MEC).

São apenas algumas décimas que separam raparigas dos rapazes nas médias de exames a Português e Matemática, mas as notas ficam todas abaixo do nível três, o limiar da classificação positiva.

A Português as raparigas tiveram, em média, 2,73 valores, enquanto os rapazes registaram 2,59 valores. Já a Matemática são os rapazes os que conseguiram a média mais alta: 2,52 valores contra os 2,49 valores obtidos pelas raparigas.

De uma forma geral, rapazes e raparigas conseguiram, nas duas disciplinas, uma classificação interna final positiva, à exceção das notas finais dos rapazes a Matemática, que se fixou nos 2,99 valores, já bastante próximo do nível três.

Na conjugação dos dois exames são as raparigas que registam notas médias mais altas: 2,61 valores contra os 2,55 valores dos rapazes.