As médias dos exames de 2.ª fase de Português e Matemática do 9.º ano subiram face a 2016, mas mantêm-se em valores negativos, com a taxa de reprovação na prova de Matemática a rondar os 86%.

De acordo com os dados divulgados pelo Ministério da Educação (ME), dos 3.340 alunos que fizeram prova final de Matemática do 3.º ciclo, 2.890 chumbaram (86%). Considerando apenas a taxa de reprovação à disciplina dos inscritos na prova da 2.ª fase a reprovação fixou-se nos 60%.

A média a Matemática foi de 24 pontos, o que corresponde a um nível de frequência 2, nível negativo, apenas ligeiramente superior à média de 2016, quando os alunos do 9.º ano conseguiram uma nota média de 22%.

Já a Português a média foi de 47%, acima dos 39% de 2016, mas ainda assim negativa.

Apesar de quase 50% dos 3.857 alunos inscritos na prova ter reprovado no exame, a taxa de reprovação à disciplina, nas duas fases, ficou-se pelos 25%, bastante inferior à taxa de 52% registada em 2016.

A 2.ª fase das provas finais de ciclo do 9.º ano de escolaridade destinou-se aos alunos que se encontravam em situação de não aprovação no ciclo. Assim, os alunos que tiveram acesso à 2.ª fase das provas finais são, naturalmente, os alunos que demonstraram maiores dificuldades ao longo do ano letivo, pelo que, como seria de esperar, as médias das classificações das provas finais de Português (91) e de Matemática (92) são mais baixas, tendo em conta os resultados da 1.ª fase”, refere um comunicado do ME.

Segundo os dados da tutela, as provas finais de 2.ª fase de Português e Matemática do 9.º ano decorreram “de forma regular nas 1.258 escolas” em Portugal, incluindo regiões autónomas, assim como nas escolas portuguesas no estrangeiro.

Nesta 2.ª fase das provas finais de ciclo do 9.º ano de escolaridade foram realizadas 7.232 provas, sendo 3.857 provas de Português (91) e 3.340 provas de Matemática (92). As provas finais de ciclo do 9.º ano de escolaridade da 2.ª fase foram classificadas por 394 professores classificadores”, acrescenta a nota da tutela.