Quase 100 mil alunos estão inscritos para a 1.ª fase das provas finais do 3.º ciclo, estando marcado para esta sexta-feira o exame de Português do 9.º ano.

Dos 99.194 inscritos nas provas do 9.º ano, apenas 351 não são alunos internos do ensino regular, ou seja, alunos que frequentaram este ano letivo o 9.º ano de escolaridade, esclarecem dados divulgados pelo Ministério da Educação.

Este ano há cerca de seis mil alunos a menos a realizar estes exames, face aos mais de 105 mil inscritos em 2015.

As provas finais do 3.º ciclo (9.º ano de escolaridade) foram as únicas que se mantiveram este ano no calendário de exames do ensino básico, este com caráter obrigatório e peso na nota final, depois do modelo de avaliação deste nível de ensino ter sido alterado pelo novo ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues.

A nova tutela eliminou, com a aprovação da Assembleia da República, os exames de 4.º ano e de 6.º ano, introduzidos pelo anterior ministro da Educação, Nuno Crato, e substituiu-os por provas de aferição no 2.º, no 5.º e no 8.º anos de escolaridade, a meio dos ciclos de ensino, com a justificação de que este seria o tempo ideal para identificar e corrigir dificuldades dos alunos.

No 9.º ano, os alunos apenas realizam exames a Português e Matemática, depois de o novo ministro ter suspendido a aplicação da prova de inglês da responsabilidade da Universidade de Cambridge.

Depois do exame de Português de hoje, os alunos do 9.ºano voltam a prestar provas na próxima terça-feira, 21 de junho, desta feita a Matemática.

A segunda fase está agendada para julho, com a prova de Português marcada para dia 15 e, a de Matemática, para dia 20.