A maioria dos professores que realizaram a prova de avaliação docente escreveu um texto com erros ortográficos, de pontuação e de sintaxe, revelam esta segunda-feira dados divulgados pelo Instituto de Avaliação Educativa (IAVE).



A prova, que permite o acesso à carreira docente para professores contratados com menos de cinco anos de serviço, foi feita em dois momentos, a 18 de dezembro e a 22 de julho.

1500 professores chumbam na prova de conhecimento



De acordo com o IAVE, num total de 10.220 provas validadas, e especificamente na parte do exame correspondente à escrita de um pequeno texto, 62,8% das respostas dos candidatos acusou um ou mais erros ortográficos, 66,6%, um ou mais erros de pontuação, e 52,9%, um ou mais erros de sintaxe.



O Instituto de Avaliação Educativa não exemplifica, com casos concretos, os erros dados. Em comunicado citado pela Lusa, o IAVE precisa que 30% das respostas registaram um a dois erros ortográficos, 14,8% cinco ou mais e, acima de 10%, três ou quatro erros.



No caso dos erros de pontuação, a percentagem de cinco ou mais erros sobe para 20,1%.



Quanto aos erros de sintaxe, o IAVE salienta que 17% dos candidatos deu três ou mais erros e, acima de 30%, um ou dois erros.



De acordo com o Instituto de Avaliação Educativa, a prova de avaliação docente foi superada por 8.747 professores. Um total de 1.473 reprovou.



O IAVE destaca que 37,2% dos candidatos não deu erros ortográficos, 33,4% não apresentou erros de pontuação e não se verificaram erros de sintaxe em 47,1%.



O exame, apenas com componente comum, visou avaliar o raciocínio lógico e crítico e a capacidade de comunicação correta em língua portuguesa.