Pouco mais de mil alunos dos 105.411 inscritos faltaram esta terça-feira à prova final de Português do 6.º ano de escolaridade, segundo dados divulgados pelo Ministério da Educação e Ciência (MEC).

De acordo com os números da tutela, 1.021 alunos do 6.º ano faltaram à prova de Português, 1% do total de inscritos, de acordo com a Lusa.

Mais de 200 mil alunos realizam esta semana as provas finais do 4.º e 6.º ano, que contam 30% para a nota final.

As provas a realizar pelos alunos do 1.º e 2.º ciclos vão decorrer em 1.100 e 1.133 escolas, respetivamente, num processo que envolve a vigilância de cerca de 10 mil professores, segundo o MEC.

A realização destas provas faz com que, em muitas escolas, vários alunos fiquem sem aulas durante quatro dias.

Quarta-feira e quinta-feira, realizam-se as provas finais de Matemática do 4.º ano e do 6.º ano, respetivamente.

Fazem as provas cerca de 103.000 alunos do 4.º ano e 114.000 alunos do 6.º ano, com os resultados a serem afixados a 16 de junho.

As provas finais são entendidas pelo Ministério da Educação como instrumentos que permitem verificar quais os conhecimentos consolidados durante os dois primeiros ciclos da escolaridade obrigatória, revelando ao mesmo tempo as matérias em que os alunos têm mais dificuldades.

 Associação Nacional de Professores de Português (Anproport) considerou a prova final de Português do 6.º ano “bastante acessível”, de acordo com um parecer hoje divulgado.

“A análise global da prova permite verificar que se procurou respeitar, como compete, o estipulado pelas metas curriculares”, lê-se no parecer da Anproport, elaborado por uma professora de Português do 2.º ciclo a que a Lusa teve acesso. 

Para a associação de professores de Português, “os dois primeiros grupos – Leitura e Educação Literária – correspondem aos objetivos de leitura e escrita, que promovem nos alunos o sentido estético, o sentido crítico e o rigor”.

O grupo dedicado à gramática foi considerado “bastante acessível” e o de produção escrita “reflete os conhecimentos que o aluno deste nível deve ser capaz de pôr em prática com base no que estudou sobre leitura e escrita”.