Os dois veículos automóveis furtados que alegadamente serviram para a fuga dos suspeitos que, no sábado, assaltaram uma caixa multibanco em São Miguel de Machede, no concelho de Évora, foram recuperados esta segunda-feira pela GNR.

O Comando Territorial de Portalegre da GNR disse à agência Lusa que o automóvel que se supõe ter sido utilizado no assalto, um veículo furtado de um ‘stand’ em Elvas, na sexta-feira, foi encontrado e recuperado hoje, “de manhã cedo”, perto de Campo Maior.

Efetivos do Posto de Campo Maior localizaram a viatura perto da vila, numa via junto da Estrada Nacional 373, que liga Elvas e Campo Maior, e da estrada para a Barragem do Caia”, explicou.

O veículo, que ao que “tudo indica” será uma das viaturas utilizadas pelos assaltantes, apresenta “danos na fechadura e no canhão de ignição, compatíveis com arrombamento e furto”.

Segundo a fonte, o automóvel foi sujeito a inspeção técnica, para “tentar recuperar algum indício”, e foi levado para as instalações do Posto de Campo Maior da GNR “à ordem do processo” do Ministério Público para, “depois, eventual devolução ao seu legítimo proprietário”.

No assalto de sábado, os assaltantes terão usado um segundo veículo para concretizar a fuga, uma “carrinha de caixa aberta furtada na zona de Azaruja”, no concelho de Évora, a qual foi também hoje recuperada pela força de segurança.

A viatura, precisou à Lusa o Comando Territorial de Évora da GNR, “foi localizada e recuperada esta madrugada, perto de Azaruja”.

Pelos indícios encontrados no interior, tudo indica que será a mesma alegadamente usada pelo grupo de assaltantes”, sublinhou a fonte da GNR.

A investigação ao assalto - realizado às 02:15 de sábado, com os assaltantes a usarem uma máquina retroescavadora para rebentar com a caixa multibanco - prossegue a cargo do Núcleo de Investigação Criminal do Destacamento Territorial de Évora da GNR.

Inicialmente, as autoridades avançaram que o grupo de assaltantes seria composto por três ou quatro homens, mas a fonte da GNR de Évora contactada hoje pela Lusa atualizou a informação.

“Esse número aumentou ligeiramente”, disse, revelando que a GNR suspeita, agora, que o grupo seja formado por “quatro a cinco pessoas”.

Os assaltantes, encapuzados e armados, conseguiram fugir com as gavetas do multibanco, não tendo as autoridades revelado a quantia de dinheiro que se encontrava no interior da caixa ATM.