O ex-primeiro-ministro José Sócrates, que se encontra em prisão preventiva no Estabelecimento Prisional de Évora, recebeu duas visitas esta quinta-feira, visitas que acreditam firmemente na sua inocência.

Ao início da tarde Sócrates recebeu a ex-governadora civil de Évora, Fernanda Ramos, que em declarações aos jornalistas à porta da prisão disse que, por residir na cidade, está disponível para ajudar o ex-primeiro-ministro no que puder, tendo firmado que acredita na sua inocência.

«Claro que acredito na inocência de José Sócrates. Fiquei surpreendida quando soube deste processo, como é óbvio. [Aqui venho trazer]  uma palavra de conforto e de amizade. [Venho] dizer-lhe que estou aqui, resido em Évora e aquilo que for preciso estarei disponível», disse.
 
Fernanda Ramos não só acredita na inocência do ex-primeiro-ministro como está confiante que José Sócrates não será acusado dos crimes de que é suspeito: corrupção, branqueamento de capitais e fraude fiscal qualificada. 

«Acredito que não. Neste momento não tenho dados nenhuns, e penso que é prematuro estarmos a fazer juízos de valor. Acho que a justiça deve funcionar, e respeitar os cidadãos e os seus direitos, que [por sua vez] é um direito que temos de respeitar também», continuou.

À saída do Estabelecimento Prisional, já depois da visita, Fernanda Ramos, disse que Sócrates estava bem disposto, e que está ser bem tratado.

«[José Sócrates] está bem, tudo perfeito, sem problemas nenhuns. Está a ser bem tratado, sem dúvidas nenhumas», disse.

Também Manuel Costa Reis, amigo de Sócrates, esteve na prisão para visitar o socialista e deixar alguns itens. Pelo menos alguns livros e um casaco.
 
Manuel Costa Reis, atual marido da ex-mulher de José Sócrates, disse que veio deixar uma mensagem de apoio, «muitos abraços», além de garantir que acredita na sua inocência.

«Claro que acredito, aliás tenho a certeza [da inocência]. Vamos esperar pelo fim. (...) Não tenho problema nenhum, é para isso que servem os amigos», afirmou à porta do Estabelecimento Prisional.

Depois da visita, já mais aberto aos jornalistas, Manuel Costa Reis falou do estado de espírito de José Sócrates, quem considerou um «homem invulgar».

«Estava espetacular, muito bem disposto, muito animado, são assim os homens invulgares. Falámos de muita coisa, de futebol, do nosso Benfica. (...) Os homens invulgares são assim», disse.

Antes de ir embora, o amigo do ex-primeiro-ministro ainda garantiu que Sócrates vai continuar a comunicar com a comunicação social ( como aconteceu ontem), mas sempre à sua maneira.

«Ele comunica convosco, já começou ontem e vai continuar. À maneira dele», disse Manuel Reis.