Mais de uma em cada quatro pessoas (26,3%) morre de cancro na União Europeia (UE), sendo o do pulmão o que causa mais óbitos (20,8%) na média dos 28 Estados-membros e menos em Portugal, divulga hoje o Eurostat.

Segundo o gabinete oficial de estatísticas da UE, com dados de 2011, o cancro matou 1.281 pessoas e, ainda que o número total de óbitos tenha diminuído 0,5% de 2002 para 2011, as mortes por cancro aumentaram 6,3% no mesmo período.

O cancro no pulmão matou mais de 266 mil pessoas na UE em 2011 (20,8% dos óbitos por cancro), seguindo-se o colorretal (152 mil ou 11,9%), cancro da mama (93 mil ou 7,2%), o do pâncreas (78 mil ou 6,1%) e o da próstata (73 mil ou 10,2% dos cancros que matam homens).

Em Portugal, uma em cada quatro mortes deveu-se, em 2011, a cancro (24.8%), mas - ao contrário da média europeia – o cancro do pulmão é o que regista menos mortes (14,5%) no conjunto dos 28 Estados-membros.


Já no que respeita ao cancro colorretal, Portugal apresenta a terceira maior taxa de morte (15,%) entre os 28, ultrapassado apenas pela Hungria (15,5%) e pela Eslováquia (15,3%).