A população da União Europeia (UE) era de 505,7 milhões de pessoas a 01 de janeiro, mais 1,1 milhões do que em 2012 (504,6 milhões), segundo uma estimativa divulgada esta quarta-feira pelo Eurostat.

O gabinete oficial de estatísticas da UE atribui o crescimento global a dois fatores: um aumento natural de população de 200 mil (0,4 por mil) e de migração em 900 mil (1,7 por mil).

Eurostat constata que se registou crescimento populacional em 17 Estados-membros e diminuição noutros 11, incluindo Portugal, assinalando que, em 2012, cerca de 80% do aumento na UE se deveu à migração.

As menores taxas de crescimento relativas verificaram-se na Lituânia (-10,6 por mil), na Letónia (-10,3 por mil), na Estónia (-6,8 por mil), na Bulgária (-5,8 por mil), na Grécia (-5,5 por mil) e em Portugal (-5,2 por mil).

As maiores taxas de crescimento foram observadas no Luxemburgo (23 por mil), Malta (9,1 por mil), Suécia (7,7 por mil), Reino Unido (6,2 por mil), Bélgica (6,0 por mil) e Áustria (5,2 por mil).

No ano passado, nasceram 5,2 milhões de bebés na UE, o que corresponde a 10,4 por mil habitantes, estando a Irlanda à cabeça da tabela dos nascimentos (15,7 por mil), seguida do Reino Unido (12,8 por mil), França (12,6 por mil), suécia (11,9 por mil) e Chipre (11,8 por mil).

As taxas de nascimento mais baixas verificaram-se na Alemanha (8,4 por mil), Portugal (8,5 por mil), Grécia e Itália (9,0 por mil em ambas) e Hungria (9,1 por mil).