Um em cada quatro jovens portugueses entre os 18 e os 29 anos já consumiu medicamentos para melhorar a concentração e número equivalente já recorreu a fármacos para acalmar, de acordo com um estudo sobre Medicamentos e Consumos de Performance na população jovem do ISCTE citado pelo Público.

É o primeiro estudo deste tipo em Portugal, coordenado pelo Centro de Investigação e Estudos de Sociologia do ISCTE, que quis perceber a dimensão do consumo de medicamentos ou produtos naturais para melhorar o desempenho.

Noémia Lopes, coordenadora do estudo, fala numa «farmacologização do quotidiano» e também numa indústria «do natural»: «Os jovens cada vez mais consomem "o natural, um sector sem regulação e sem controlo.»