A Budget Rent a Car, uma empresa de aluguer de automóveis, realizou um estudo de mercado com o objetivo de perceber quando é que as pessoas começam a pensar no fim-de-semana, quanto gastam, como é que consideram ter sido bem aproveitado e o que as impede de ter um fim-de-semana em grande.

Para conseguir chegar a essas conclusões, a empresa realizou sete mil entrevistas, em sete países: Portugal, Espanha, França, Itália, Holanda, Alemanha e Reino Unido. Neste âmbito seguiu-se a primeira parceria com utilizadores da rede social Instagram para capturar em simultâneo, nos sete países, como é um fim-de-semana em grande na Europa em 2014.

O estudo concluiu que os portugueses começam a pensar no fim de semana “só” às 13:45 de sexta-feira. Os espanhóis são os que têm o fim-de-semana mais longo, começando oficialmente às 10:10, e o fim de semana italiano é o mais curto, começando apenas às 19:36.

Um fim de semana em grande 

A pesquisa recaiu também sobre quanto é que as pessoas estão dispostas a gastar para ter um fim de semana em grande. Quem gasta mais são os britânicos - 208 euros - e quem gasta menos são os alemães - 138 euros, já os portugueses têm um gasto médio de 167 euros.

Para se conseguir o fim de semana em grande, 43% das pessoas refere que significa passar tempo com a família e com os amigos, 43% ir para um sítio onde nunca foram e 36% diz que é viajar para um local com um clima ótimo.

No entanto, 14% dos inquiridos afirmou que não usufruiu de um fim de semana assim nos últimos 12 meses e 27% afirmou que a causa foi o trabalho, pois 47% passa algum tempo a pensar no trabalho e 33% verifica o e-mail de trabalho durante o fim-de-semana.

O estudo conseguiu ainda perceber a forma como um fim de semana bem aproveitado influencia a motivação dos portugueses para trabalhar: 93% começa a semana com uma visão mais positiva e 74% sentem-se revigorados para regressar ao trabalho.

O problema é que, no caso de Portugal, nos últimos 12 meses apenas cinco fins de semana foram considerados em grande.