"Nos frigoríficos, o consumo de energia caiu 25% em 10 anos na União Europeia (UE), mas Portugal tem valores anuais bem acima da média” registada na Europa, e os portugueses “escolhem mal” quando compram estes aparelhos, refere um trabalho desenvolvido pelo projeto TopTen, que tem a participação da Quercus, pela ADEME (agência do ambiente francesa) e pela organização internacional de defesa do ambiente WWF Suíça.
















“Apesar de serem mais eficientes, as máquinas de lavar portuguesas têm um consumo energético médio maior do que as máquinas vendidas na UE e na França e a razão é serem de maior capacidade”.