Quarenta estradas estavam ao início da noite cortadas ou condicionadas devido a inundações e desmoronamentos, afetando sobretudo o distrito de Santarém, onde a povoação de Reguengo do Alviela permanecia isolada desde sexta-feira passada, segundo a Proteção Civil.

De acordo com informação disponibilizada na página da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), às 18:00 de hoje, no distrito de Santarém, estavam cortadas a ponte entre Alcaides e Almajões e a estrada entre Vale Figueira e Pombalinho e condicionada a circulação entre Ribeira de Santarém e Vale Figueira.

Na Golegã, àquela hora não havia tráfego entre Lázaros e ponte da Brôa, na ponte do Cação e do Pombalinho e Vale Figueira. Em Coruche, não era possível circular entre Rebolo e Biscainho, de Amieira para Raposeira e da estrada das meias para Azervadinha. No Cartaxo, estavam cortadas a ponte do Setil e da ponte do Reguengo para Valada.

Ainda no distrito de Santarém, e também devido a inundações, estavam interrompidas as estradas entre Benfica e Casal Branco (concelho de Almeirim) e a estrada do campo para a reta do Cabo (Benavente) e para o Paul do Boquilobo (Torres Novas).

No distrito de Leiria, havia 11 registos, a começar pelo concelho de Leiria, com os cortes da rua Campo Lis, de Barosa para Serra do Porto d'Urso e das ruas da Arieira e de São Lourenço (Monte Real) e a rua da Ribeira (Lourais/Cortes). Na rua Casal Novo (Pernelhas), houve uma supressão de pavimento.

No município de Alcobaça, caíram três pontes na Ribeira do Pereiro, estando ainda condicionada a VCI e cortada a estrada municipal 563, em Casal Velho, devido a um deslizamento de terras.

Devido a inundações, não havia circulação na rua do Sol-Baixinhos (Santa Catarina, Caldas da Rainha) e na rua Campo Lis, entre Galeota e Passagem e da Vieira de Leiria e o acesso à ponte da Galeota (Marinha Grande). Um deslizamento de terras cortou a rua Ladeira do Porto (Gregórios, Pombal).

Em Coimbra, o concelho da Figueira da Foz registava hoje quatro estradas cortadas devido a inundações, em Santa Eulália, Alqueidão/Amieira e entre a estrada da Quinta do Seminário e Porto Godinho de Além. No concelho de Miranda do Corvo, desmoronamentos causaram o corte da circulação de Urzelhe para Lobases e da estrada nacional 17-1 em Sandoeira.

No mesmo distrito, a Proteção Civil referia ainda o corte da estrada municipal entre Casais Velhos e Pereira (Montemor-o-Velho) e na avenida Cidade de Coimbra (Praia de Mira, Soure), devido a inundações.

O concelho de Águeda (distrito de Aveiro) tinha três estradas municipais cortadas: do túnel do Sardão para Oronhe, entre Campo e Recardães e Oronhe-Espinhel.

Em Viseu, a estrada nacional de Valadares para São Pedro do Sul (São Pedro do Sul) estava cortada devido à «queda de inertes» e, no concelho de Viseu, a estrada municipal de entre Torredeita e Routar encontrava-se intransitável, por causa de um deslizamento de terras.

Em Azambuja (distrito de Lisboa), encontrava-se sem circulação a estrada nacional 3-1 em Alqueidão, e nos distritos de Castelo Branco e Guarda estava interrompida a circulação da estrada nacional 238 entre o Vale da Ursa (ao quilómetro 23) e Cernache do Bomjardim, abrangendo os concelhos da Sertã e de Castelo Branco.