O ministro da Educação e Ciência, Nuno Crato, afirmou esta quarta-feira, em Lisboa, que Portugal vive num sistema extremamente centralizado, de patrão único, com uma oposição sindical quase soviética.

«Os sindicatos são necessários, tal como a oposição é necessária a qualquer Governo. Vivemos num sistema democrático. Se estou de acordo com algumas medidas extremas de alguns sindicatos que estão sempre do contra? Não, não estou de acordo», disse o ministro em resposta a um dos participantes num debate promovido pelo International Club of Portugal, sobre a forma como lida com as reivindicações sindicais, nomeadamente da Federação Nacional dos Professores (Fenprof).

Nuno Crato acrescentou que o país vive num sistema que classificou de extremamente centralizado: «É um sistema de patrão único, quase soviético e com um sistema quase soviético também a oposição sindical é quase soviética ou mesmo soviética.»

«Temos de ultrapassar isto. Temos de chegar a um momento em que todos nós percebamos que temos de nos entender», referiu.

Nuno Crato declarou que Portugal está «numa democracia mais madura» e que os sindicatos são «absolutamente necessários».

«Vamo-nos sentar, vamos é continuar a discutir as coisas e vamos ultrapassar algum radicalismo que existe aqui», apelou durante um debate subordinado ao tema «O Nosso Programa de Melhoria Real da Educação».