O presidente do FC Porto, Pinto da Costa, elogiou hoje o Centro Português de Caracas e o sentimento da comunidade portuguesa da Venezuela pelo país de origem, sublinhando que, «se os governantes tivessem esse portuguesismo», Portugal estaria melhor.

«É fantástico visitar aquilo que visitámos. É extraordinário sentir o fervor clubista que todos os portistas aqui demonstram, mas é sobretudo comovente [ver] quem está tão longe de Portugal, quem muitas vezes é esquecido por Portugal, demonstrar, nos mais pequenos pormenores, o seu amor à nossa pátria», disse Pinto da Costa.

O presidente do clube «azul e branco» falava para quase um milhar de pessoas que acudiram ao Centro Português de Caracas, para participar num jantar organizado pela Filial 43 do Futebol Clube Porto (FC Porto)- a filial na Venezuela -, em homenagem a Pinto da Costa.

«E é pena que os nossos governantes não tenham conhecimento das ações que todos vós praticais aqui tão longe. Talvez que, se da parte deles houvesse gestos que traduzissem o carinho que aqui se respira, talvez o nosso país estivesse melhor», sublinhou.

Pinto da Costa frisou ainda que será «intérprete junto dos portugueses no continente [em Portugal], de tudo aquilo» que viu, «da obra realizada, do entusiasmo das ações, mas sobretudo do portuguesismo que se sente e respira na mais pequena atitude» da comunidade portuguesa na Venezuela.

«Vocês são mais do que um exemplo, são um estímulo a que continuemos cada vez mais a lutar pelo FC Porto, para que em Caracas haja cada vez mais festas e que, neste Centro [Português] se possam festejar muitos títulos, quiçá mais do que um título europeu», concluiu.

Pinto da Costa encontra-se na Venezuela, onde hoje o tricampeão português de futebol realizará um jogo amigável com o Desportivo de Anzoátegui, pelas 23:00 de Portugal, na cidade de Puerto la Cruz, 320 quilómetros a leste da capital venezuelana, partindo depois para Bogotá, Colômbia, onde defrontará o Millonarios FC, em jogo previsto para a próxima quarta-feira, pelas 01:30 horas.