Um juiz de instrução na localidade espanhola de Calvia (Maiorca) ordenou a prisão preventiva de um DJ português de 25 anos suspeito de ter esfaqueado cinco ingleses em confrontos durante a madrugada de sábado.

Tanto o alegado agressor de nacionalidade portuguesa como as cinco vítimas, quatro em estado grave, todas de nacionalidade inglesa, eram trabalhadores da zona, segundo fontes policiais ouvidas pela Lusa.

Os quatro feridos graves estão atualmente a receber cuidados médicos em dois hospitais da zona, Son Espases e Son Llàtzer, explicaram as mesmas fontes.

As circunstâncias dos incidentes ainda são confusas, com relatos diferentes sobre o que ocorreu na madrugada de sábado em pelo menos duas ocasiões numa das ruas mais movimentadas de Magaluf, região frequentada por dezenas de milhares de turistas jovens, maioritariamente ingleses.

O caso está a ser investigado ainda pela Guarda Civil e pelas autoridades policiais locais, mas tudo indica que se possa ter tratado de um caso de confusão de identidade por parte do agressor, que confundiu as vítimas com um grupo que, horas antes, teria agredido o seu irmão.

Alguns relatos referem que os primeiros confrontos, que ocorreram cerca das 03:00 locais envolveram, inicialmente, seis trabalhadores de dois espaços de lazer da zona de Punta Ballena.

Agentes policiais enviados ao local conseguir acalmar os confrontos, mas uma hora depois a polícia voltou a ser chamada a um local próximo com relatos de um grupo maior envolvido em confrontos.

Terá sido nessa altura, segundo um dos relatos, que o jovem português terá usado uma navalha, esfaqueando várias vezes um homem, antes de fugir.

Perseguido por um grupo maior, o alegado agressor respondeu de novo com a arma branca, ferindo quatro outras pessoas.

Outros relatos, incluindo alguns citados pela imprensa inglesa, referem que o jovem português terá confundido as vítimas com um outro grupo. Grande parte dos envolvidos estava mascarada, já que na zona decorriam várias festas de «Halloween», segundo os relatos dados à polícia.

O ataque ao irmão do alegado agressor terá acontecido dentro de um bar onde o segundo estava a trabalhar como DJ e onde, posteriormente, começaram os confrontos que se estenderam ao exterior.

No fim de semana, o jovem português foi apresentado ao juiz de instrução número seis de Palma, que ordenou a sua prisão preventiva enquanto decorrem mais investigações.