O juiz do processo Face Oculta reiterou que vai cumprir «escrupulosamente» a ordem de Noronha do Nascimento para destruição das escutas. O magistrado desligou as escutas divulgadas esta sexta-feira daquelas cuja destruição foi decidida pelo presidente do Supremo Tribunal de Justiça (STJ).

A informação do magistrado António Costa Gomes foi avançada à agência Lusa através do presidente da comarca do Baixo Vouga, desembargador Paulo Brandão. De acordo com a fonte, a destruição das escutas que o presidente da STJ, Noronha do Nascimento, ordenou, envolvendo Armando Vara e José Sócrates, só ainda não foi feita «porque se está à espera do expediente» necessário.

O magistrado de Aveiro esclareceu, contudo, que a divulgação das escutas, esta sexta-feira, não constituiu qualquer crime de desobediência «já que não se trata de conversas abrangidas» pelo despacho de Noronha do Nascimento.