A professora e escritora Aurélia Borges, última discípula direta da poetisa Florbela Espanca, faleceu na segunda-feira, aos 99 anos, disse esta terça-feira à agência Lusa fonte da editora Nova Acrópole.

De acordo com José Carlos Fernández, biógrafo de Florbela Espanca e diretor da Nova Acrópole, a fundadora da Escola Florbeliana estava prestes a cumprir cem anos, passados 120 do nascimento de Florbela Espanca e mais de 80 sobre a morte da escritora.

Aurélia Borges, natural da freguesia de São Tiago, Torres Novas, distrito de Santarém, "destacou-se no âmbito cultural português pelo seu incentivo e participação direta no lançamento de novos talentos literários por todo o país".

Nas últimas décadas dedicou-se a estudar e divulgar Florbela Espanca, que foi sua professora privada em Lisboa, na década de 1920, escrevendo episódios menos conhecidos sobre a poetisa, uma das mais marcantes da história literária portuguesa do século XX.

O escritor Fernando Pessoa descreveu Florbela Espanca desta forma: "alma sonhadora,/Irmã gémea da minha!".

Na quarta-feira, dia 10 de junho, Aurélia Borges será homenageada pelas 10:30, na Igreja Matriz da Amadora, encontrando-se o seu corpo, desde as 16:00 desta terça-feira em câmara-ardente, na mesma igreja, de acordo com a Nova Acrópole.