A escritora portuguesa Maria Teresa Horta renunciou ao Prémio Oceanos de Literatura em Língua Portuguesa de 2017, que lhe foi atribuído na quarta-feira pelo Itaú Cultural no Brasil, por “repudiar” a classificação que lhe foi atribuída: 4º lugar.

Numa carta que enviou ao Itaú Cultural e que publicou na sexta-feira na sua página de Facebook, Maria Teresa Horta começa por dizer que comunica assim o seu “repúdio da classificação – 4º. lugar ex-aequo com Bernardo Carvalho – e respetivo “prémio” pecuniário” que lhe foram atribuídos pelo júri do Prémio Oceanos 2017.

Faço-o por respeito pela Literatura, por respeito pelas minhas leitoras e os meus leitores, e sobretudo pelo respeito que devo a mim própria e à minha já longa obra”, afirma.

“Assim sendo, caros senhores, sois livres de dar a aplicação que vos aprouver aos 15 mil reais (4 mil euros) que me caberiam, não fosse esta inultrapassável questão que se me coloca e dá pelo nome de dignidade”, conclui Maria Teresa Horta.

Na quinta-feira, o Itaú Cultural no Brasil anunciou que a escritora portuguesa Ana Teresa Pereira foi a escolhida como vencedora do prémio Oceanos de Literatura em Língua Portuguesa de 2017.

Em segundo lugar ficou o autor brasileiro Silvano Santiago, que concorreu com a obra "Machado", seguido pelo poeta português Helder Moura Pereira, com o livro "Golpe de Teatro".

Fechando a lista de vencedores, em quarto lugar foram escolhidos dois autores, a portuguesa Maria Teresa Horta, com o livro "Anunciações", e o romancista brasileiro Bernardo Carvalho, com a obra "Simpatia pelo Demónio".