A PSP de Espinho identificou um casal e um homem que estariam naquela cidade a angariar mão-de-obra escrava para lídes agrícolas em Espanha, anunciou hoje aquela força policial.

Os alegados recrutadores que se deslocavam num veículo automóvel, de matrícula estrangeira, foram intercetados na passada terça-feira, cerca das 12:20, após uma denúncia telefónica para a polícia.

Segundo a PSP, os arguidos, com idades entre os 35 e 45 anos, são suspeitos da prática do crime contra a liberdade pessoal.

No veículo automóvel, para além dos suspeitos, encontrava-se uma menor, de cinco anos, filha do casal, e dois outros homens, de 35 e 50 anos, que, alegadamente, viriam a ser transportados para Espanha.

Um dos homens tinha na sua posse cerca de 5,5 doses de cocaína, que foram apreendidas, e outro é suspeito de envolvimento num crime de falsificação de documento agravado, tendo pendente uma prestação de Termo de Identidade e Residência, no Tribunal Judicial de Faro.

A mulher tinha pendente uma notificação para prestação de Termo de Identidade e Residência, respeitante a um processo do Tribunal de Família e de Menores - Comarca de Portimão.

A PSP refere ainda a existência de «fortes suspeitas» de prática de coação e agressão, aquando da prestação dos trabalhos de agricultura em Espanha, bem como de privação da liberdade dos trabalhadores angariados, que, alegadamente, vivem em condições impróprias de habitabilidade e higiene.

A ocorrência foi comunicada à Polícia Judiciária do Porto, que continuará a investigar o caso.